Terça-feira, 6 de Outubro de 2009

Angola e Portugal unidos na musíca!

Image"Dance Mwangolé", álbum de estreia dos Batida, pretende "brincar com música angolana e juntar-lhe ritmos actuais, transformando-a em boa música", como explica DJ Mpula, um dos membros da banda.

Em "Dance Mwangolé", aliados às sonoridades africanas, encontramos elementos da música mais actual, como a electrónica, o house, o hip hop e o rap. Mpula, que também é o responsável pelo programa "Batida", da Antena 3, que visa a promoção de música angolana, explica que, para este trabalho, a banda pegou "numa base de raiz tradicional e transformou-a numa base moderna".

Assim, o álbum é uma espécie de "choque entre duas gerações: a dos cotas, dos anos 60 e 70, e a nossa, numa fusão única com ritmos tradicionais africanos e sons que ouvimos hoje em dia", acrescenta.
 

Aliando uma pesquisa a um catálogo da Valentim de Carvalho em que figuravam músicas africanas antigas às vivências dos constituintes da banda, foi nascendo o projecto. De acordo com Mpula, o grupo procurava "contribuir humildemente para promover mais informação e interesse por algo que está tão distante, como a música africana", destacando o diálogo, já de muitos séculos, entre Portugal e Angola.
 


Assim, a primeira música a aparecer foi "Bazuka", ainda no programa de rádio, resultante de um "'sample' antigo", ao qual o apresentador foi adicionando "alguns 'beats'", recorda.

Depois da devida autorização para trabalhar esta e outras músicas, fecharam-se num estúdio durante dois meses. "Fomo-nos deixando levar por um processo de experimentação" dos temas, explica, que ainda foram "enriquecidas pela participação do Ikonoklasta, do Sacerdote e da Dama Ivone", entre outros.

Agradado com o resultado final, o músico salientou que o mesmo só foi possível porque cada um dos membros mantém uma "forte ligação com Angola" e tem trabalhado na área da "música africana". De acordo com Mpula, a banda parte sem grandes objectivos para as vendas do álbum, uma vez que a principal meta já foi conseguida: "Acabá-lo".

O artista recorda que, à partida, o maior desafio era saber se seriam capazes de construir algo que "comunicasse a paixão por África". Desta forma, garante que "tudo o que vier, é óptimo".

Para a banda, todo o álbum é "especial", desde os temas à própria capa. Esta pretende alertar para "uma realidade estatística que mostra que Angola ocupa o primeiro lugar mundial na lista da mortalidade infantil". Nela, é retratado um miúdo de um gueto angolano, a quem é dado o estatuto de super-herói. "Sobreviver num local com tantas carências e onde a mortalidade infantil é tão elevada é mesmo só para super-heróis", finaliza.

Este projecto é lançado numa época em que as músicas africanas estão a ter grande procura em Portugal, algo que não acontecia há alguns anos. Mpula explica o facto com uma "presença física concreta dos africanos em Portugal, nas comunidades, por exemplo, muito motivada, também, pela história comum que aproxima Portugal e Angola".

O artista salienta que esta situação só "contribui para o enriquecimento cultural português".
 

 
)

publicado por saudacoesangolanas às 15:20
link do post | comentar | favorito

Literatura Angolana em Vila Real

ImageOs escritores angolanos José Luandino Vieira e Ana Paula Tavares juntaram-se na segunda-feira, em Vila Real, Portugal, para divulgar a literatura do seu país e desvendar algumas histórias sobre a guerra e a paz, os meninos pobres e as mulheres de Angola.

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) está a promover os "Encontros com África" e quis juntar na cidade transmontana três gerações de escritores angolanos, José Luandino Vieira, Ana Paula Tavares e Ondjaki, que não compareceu na tertúlia porque foi à Suécia receber um prémio.
 

O objectivo do projecto é a divulgação da cultura e literatura africana em língua portuguesa.

 
publicado por saudacoesangolanas às 15:19
link do post | comentar | favorito

Nova designação do CAN2010

 
ImageA XXVII edição do campeonato africano de futebol  a disputar-se de 10 a 31 de Janeiro próximo terá a designação oficial de "Taça de África das Nações Orange Angola2010".

O facto foi anunciado pelo director de informação, publicidade e marketing do Comité Organizador do COCAN, Manuel Mariano, durante uma conferência de imprensa, onde se efectuou o balanço da visita de uma semana ao país dos inspectores da Confederação Africana de Futebol (CAF).
 
Trata-se do apadrinhamento da empresa francesa de telecomunicações "Orange", que desde Julho deste ano é o patrocinador oficial das maiores competições sob égide da CAF, em substituição da MTN, instituição também voltada ao ramo das telecomunicações.
 
O acordo celebrado em Paris (França), com duração de oito anos, engloba ainda a Liga dos Clubes Campeões de África e a Taça da Confederação.
 
O patrocínio da companhia francesa de telecomunicações vai abranger também a Taça CHAN (africano para jogadores que evoluem em campeonatos locais), Supertaça de África e o CAN de Sub-20.
 

A Orange vai publicitar estas competições, entre outras, através da oferta de telefones celulares nos 55 países africanos.


 
)

publicado por saudacoesangolanas às 15:16
link do post | comentar | favorito

Angola vai produzir vinho!

O enólogo português Mário Louro estimou segunda-feira, em Lisboa, Portugal, que Angola pode começar a produzir vinhos a partir de 2014, para abastecer o mercado interno com produto nacional, gerar mais empregos e concorrer com marcas internacionais.


Falando numa sessão de provas de vinhos tinto, branco e rosé, o técnico em produção de vinhos justificou a sua afirmação pelo facto de notar em Angola as iniciativas do empresariado público-privado no desenvolvimento da cadeia do vinho e o forte interesse e disponibilidade de Portugal apoiar os investidores nesta actividade.

Para si, protocolos de intenções entre agentes angolanos e portugueses podem ser brevemente assinados com vista a realização de análises dos solos angolanos para se apurar o índice de acidez e da alteração das temperaturas das potenciais reagiões angolanas para a produção do vinho. 

Segundo Mário Louro, as províncias do Centro e Sul de Angola, sobretudo a do Huambo, pelo solo e climas reúnem características e condições para o cultivo de uvas, propicias para a produção de vinhos.

Além destas condições, realçou ser fundamental no processo de criação de vinhas (conjunto de videiras) introduzir-se o sistema de rega da planta gota-a-gota, para se evitar a danificação da cultura nos períodos de estiagem (escassez de chuvas).

O enólogo salientou ser favorável Angola iniciar a produzir vinhos branco por ser um país mais quente e pelo facto de vinhos desse género serem tendencialmente frescos.

Indicou que por se registar, na maioria dos países produtores de vinho, poucos vinhos brancos pelo seu alto consumo, a abertura em Angola de linhas de produção de vinhos brancos reduziria esta escassez, bem como serviria para atrair mais consumidores.

“Os vinhos brancos como os roses por serem essencialmente mais suaves, dóceis e com pouco álcool são adequados para iniciantes no consumo de vinho e são muito bons para acompanhar com comidas africanas, chinesas e italianas, sobretudo”, justificou.

Mário Louro é formador e júri internacional de provas de vinhos, membro da Associação de Promoção de Vinhos Portugueses, já formou agentes hoteleiros angolanos na área vinícola, da restauração e distribuição de vinhos.   

 
publicado por saudacoesangolanas às 15:13
link do post | comentar | favorito

Mais um buraco cheio de petróleo!

A petrolífera angolana, Sonangol, anunciou quinta-feira, a descoberta de um novo poço de petróleo, em conjunto com a britânica BP, no offshore angolano, estando confirmado o potencial de cinco mil barris/dia.


Em comunicado divulgado pela Angop, a Sonangol informa ainda que o novo poço foi denominado "Tebe-1", no bloco 31, em águas ultra-profundas.

A mesma fonte sublinha ainda que esta é a 19.ª descoberta que a BP efectuou no Bloco 31 e está localizada na parte sul, a 350 quilómetros a noroeste de Luanda e a 12 quilómetros a sudeste do campo Hebe.

Os testes já realizados permitiram confirmar uma capacidade de produção de cinco mil barris de petróleo/dia.

A Sonangol é a concessionária do Bloco 31 e detém uma participação de 20 por cento. A BP é a operadora com 26,67 por cento, sendo os outros parceiros a Esso Exploration com 25, a Statoil com 13,33, a Marathon Internacional com 10 e a Tepa com 5 por cento.
publicado por saudacoesangolanas às 15:10
link do post | comentar | favorito

Corrupção de alto nível!

Uma empresa britânica tornou-se esta semana a primeira do país a ser declarada culpada por subornos a políticos e funcionários estrangeiros. De acordo com o «The Guardian», a Mabey & Johnson, com sede em Raeding, e que se dedica à construção de pontes, sendo responsável por muitos contratos financiados com dinheiro dos contribuintes britânicos, pagou subornos a 12 pessoas de seis países.


John Hardy, da Serious Fraud Office, responsável pela investigação destes crimes, referiu no tribunal londrino de Southwark que a empresa, propriedade de uma das famílias mais ricas da Grã-Bretanha, pagou um total de um milhão de libras (1.1 milhão de euros) a políticos e funcionários para conseguir contratos de exportação avaliados em cerca de 70 milhões de libras (76 milhões de euros).

A Mabey & Johnson pagou 470 mil libras (cerca de 512 mil euros) a políticos e funcionários do Gana, mas entre os subornados também figuram os nomes de ministros e funcionários de outros países como Angola, Madagáscar ou Moçambique, Bangladesh e Jamaica, refere a «EFE».

Segundo Hardy, ao longo de oito anos, a empresa entregou 100 mil libras (perto de 110 mil euros) ao ex-ministro jamaicano de Obras Públicas Joseph Hibbert para obter em troca importantes contratos, um deles, avaliado em 14 milhões de libras (15.4 milhões de euros).

A empresa violou também as sanções da ONU contra o regime iraquiano de Saddam Hussein ao pagar 363 mil libras (396 mil euros) ao Governo do ditador árabe, em 2001 e 2002.

A empresa confessou os subornos e terá agora de pagar mais de 6.5 milhões de libras (7.15 milhões de euros) em multas e indemnizações aos Governos estrangeiros afectados.

Esta é a primeira vez que Serious Fraude Office chega a um acordo ao estilo norte-americano com uma empresa acusada de corromper funcionários estrangeiros.

Os investigadores decidem na próxima quarta-feira a possibilidade de aplicar um regime semelhante no caso da empresa britânica, BAE, maior fabricante de armamento do país, também acusada de suborno a estrangeiros.

 
publicado por saudacoesangolanas às 15:08
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. simplesmentedetalhes

. ...

. Finalmente o turismo Ango...

. DJ Kadú ganha disco de ou...

. A economia de Angola não ...

. Bolsa de valores em Ango...

. Construção "uma mina de o...

. Angola na Expo-China

. Grande Festa Mangolé

. Mia Couto e Agualusa nome...

.arquivos

. Fevereiro 2011

. Novembro 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Abril 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. Desconstruções

blogs SAPO

.subscrever feeds