Sexta-feira, 24 de Abril de 2009

Ecos da visita do Papa à Angola

Image“Angola está a viver um período importante da sua História. Está a construir um futuro com novas bases e está a gozar dos benefícios dos sete anos de paz”, disse o Núncio apostólico, D. Ângelo Becciu em entrevista ao Jornal de Angola.



O prelado considerou a visita do Papa Bento XVI “uma altura interessante para encontrar os jovens e dar-lhes orientações justas para o futuro da nova sociedade que se está a construir”.

D. Ângelo Becciu destacou o “bom momento” nas relações entre o Governo e a Igreja, salientando que o Papa vai escutar as preocupações do Estado angolano e dar algumas sugestões para melhorar o relacionamento entre as duas entidades, o que se vai reflectir no povo e no homem angolano.

Jornal de Angola
Qual é o ponto em que se encontram as relações entre a Igreja e o Estado Angolano?

D. Ângelo Becciu: Actualmente as relações são boas. Elas passaram por um período difícil, devido à contraposição ideológica. Foram tempos de martírio para muitos fiéis, e padres da Igreja. Mas, a obra da Igreja durante a guerra manifestou a sua verdadeira natureza e missão: ajudar o homem.
Para a Igreja, não importa qual a sua fé ou cor, interessa apoiar o homem, e sobretudo contribuir para a paz. É claro que existem alguns aspectos que precisam de ser esclarecidos e melhorados, mas posso definir como boas, as relações existentes entre a Igreja e Angola.
 

JA: Como avalia o estado das relações entre Angola e o Vaticano?
D.AB: Também são boas. O Vaticano é somente um território onde está a Santa Sé, que é um sujeito de direito internacional e representa os católicos do mundo inteiro. O Vaticano reflecte as relações entre a Igreja e o Governo local. Se as relações entre o Governo e a Igreja são boas, então também o são com a Santa Sé.
Vejo que os bispos estão preocupados com a recuperação das missões destruídas pela guerra, e das instituições ocupadas pelo exército armado na altura do conflito. Outra preocupação dos bispos é a extensão do sinal da Rádio Ecclesia a todo território nacional, inquietação partilhada também pelo núncio e a Santa Sé. A rádio é um instrumento de evangelização, então porquê somente os católicos de Luanda têm este privilégio?

 
publicado por saudacoesangolanas às 11:41
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. simplesmentedetalhes

. ...

. Finalmente o turismo Ango...

. DJ Kadú ganha disco de ou...

. A economia de Angola não ...

. Bolsa de valores em Ango...

. Construção "uma mina de o...

. Angola na Expo-China

. Grande Festa Mangolé

. Mia Couto e Agualusa nome...

.arquivos

. Fevereiro 2011

. Novembro 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Abril 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. Desconstruções

blogs SAPO

.subscrever feeds